SEJA BEM VINDO!!

Você é muito especial e sua visita faz desse blog um espaço de alegria, de conhecimento e de troca de experiências, nos tornando uma mola propulsora que impulsiona pessoas ao crescimento no que tange ao corpo, alma e espírito.

Marcadores

A PEDAGOGIA DE JESUS

PESQUISA CIENTÍFICA TEMA: A contribuição da pedagogia de Jesus para as práticas pedagógicas da atualidade PROBLEMA O que revela a existência de um pensamento pedagógico na orientação educacional dada por um mestre? Como o amor pode auxiliar a aprendizagem? Que relação há entre educar e amar? HIPÓTESE O que revela num mestre a existência de um pensamento pedagógico, não são os seus títulos, são as coordenadas e a estrutura do seu ensino. O uso do afeto e a emoção estimula os alunos a aprender. JUSTIFICATIVA A pedagogia se funda numa filosofia. No caso de Jesus a filosofia básica é a dos Evangelhos. Essa filosofia, que é a própria essência do Cristianismo, fornece a Jesus as diretrizes e dela resulta o reconhecimento, já largamente efetuado no plano pedagógico. O dicionário nos diz que Pedagogia é a "ciência da educação; conjunto de doutrinas e princípios que visam a um programa de ação; estudo dos ideais da Educação, segundo uma determinada concepção de vida, e dos meios (processos e técnicas) mais eficientes para realizá-los" (Silveira Bueno: Minidicionário da língua portuguesa, p. 581) Como sustenta Francisco Arroyo na "História Geral da Pedagogia": "Com o Cristianismo aparece um novo tipo histórico de educação. –– Jesus é o modelo perfeito de mestre”. Ele traz uma nova visão, onde abrange o homem e a vida e se opõe às injustiças e desigualdades, ao sofrimento e a ignorância; trazendo com determinação, autoridade e persistência, a pedagogia da esperança por mudanças, da busca pelo conhecimento e da certeza da conquista de uma existência digna e equilibrada. Com a inserção dessa didática, a educação não se torna simplesmente uma maneira do sujeito se adequar aos moldes da sociedade, mas o desperta através do estímulo, à busca do conhecimento. Sendo necessário que à exemplo de Jesus, o educador use de afetividade, palavras de fácil compreensão, tenha metas de qualidade claramente definidas e um nível de decisão adequado. Use o afeto e a emoção, estimulando os alunos a aprender. Buscando ser um adequado comunicador. “... é pela comunicação que nos relacionamos com a vida: família, amigos, esportes, lazer... Tudo depende da comunicação. Quando nos comunicamos bem, podemos criar o mundo do modo como desejamos que ele seja”.( Dr. Lair Ribeiro) Jesus freqüentemente usava como recursos imagens e parábolas, dando maior definição às suas idéias; demostrando assim a necessidade de ser criativo e de possuir capacidade de trabalhar em grupo, de improvisar, de adequação ao ambiente de ensino, de administrar o tempo e cumprir cronogramas, de fazer inovações e de buscar novos percursos. A pedagogia de Jesus é centrada na pessoa, o bem maior do Reino de Deus: Marcos. 2:17 (...) Jesus destaca a importância do homem diante da criação. OBJETIVOS GERAIS Deixar o conceito de que é preciso considerar seriamente a Pedagogia de Jesus. Afinal, foi Ele mesmo que disse: "Aprendei de mim”.(Mt.11:29) e "Sede vós perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celeste." (Mt.5:48). Ele era simples, humilde, e não havia em Sua instrução nada vago ou difícil de ser entendido. Ele falava e agia com clareza e ênfase, com força solene e convincente. Permitir ao educador entender que o ser humano que se ama é capaz de amar. Ele se aceita como é e ao outro também. A convivência é saudável, há felicidade, compreensão, humildade, aceitação e troca de experiências de vida. CAPÍTULO I A educação natural de Rousseau, seguindo a graduação necessária do desenvolvimento psicológico e orgânico, lembra o respeito de Jesus pelas condições evolutivas do homem nos seus vários estágios, guardando os ensinos mais profundos para mais tarde. É o que Arroyo chama "o método agógico da Pedagogia de Jesus". Jesus expôs seus ensinamentos de forma gradativa, como foi observado por Francisco Arroyo “A pedagogia do mestre é também gradual. Não cai jamais em precipitações que possam fazer malograr o aprendizado. Semeia e espera que as sementes germinem e frutifiquem: Tenho ainda muito a vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora". Mostrando categoricamente que é necessário ao educador avaliar quanto o seu aluno absolveu do conteúdo aplicado antes de abordar outro conteúdo. Quanto à firmeza em relação à disciplina que o educador precisa exercer, o mestre também deixa seu modelo "Seus ensinos têm um toque de autoridade (Eu sou o caminho, a verdade e a vida, todo o poder me foi concedido). Mas exerce com suavidade a sua autoridade. Responde com bondade aos contraditores de boa fé e com energia aos que querem combatê-lo". CAPÍTULO II Rousseau produziu uma revolução copérnica na educação. Mas a seiva de toda a Pedagogia de Rousseau foi bebida na Pedagogia de Jesus. O "Emílio" começa por esta frase: "Tudo está certo ao sair das mãos do Criador". Os homens, para Rousseau, nascem bons e puros, pois Deus é bondade e pureza. Mas ao entrarem nas relações sociais do mundo sofrem a queda na maldade e na impureza. A descoberta copérnica da psicologia infantil por Rousseau corresponde à diferença estabelecida por Jesus entre a criança e o homem. De acordo com Rousseau o desenvolvimento natural e gradual da criança, não deve ser perturbado por exigências prematuras do ensino, eqüivale à condenação de Jesus para todos aqueles que violentarem "um desses pequeninos". Sua preocupação foi centrada na valorização inquestionável da criança: Mt. 18:1-6; 19:13-15. Tanto no cuidado em respeitar o seu tempo e suas limitações, quanto na proteção e no que há de ensinar. CONCLUSÃO Rousseau produziu uma revolução copérnica na educação. Mas a seiva de toda a Pedagogia de Rousseau foi bebida na Pedagogia de Jesus. O "Emílio" começa por esta frase: "Tudo está certo ao sair das mãos do Criador". Os homens, para Rousseau, nascem bons e puros, pois Deus é bondade e pureza. Mas ao entrarem nas relações sociais do mundo sofrem a queda na maldade e na impureza. A descoberta copérnica da psicologia infantil por Rousseau corresponde à diferença estabelecida por Jesus entre a criança e o homem. De acordo com Rousseau o desenvolvimento natural e gradual da criança, não deve ser perturbado por exigências prematuras do ensino, equivale à condenação de Jesus para todos aqueles que violentarem "um desses pequeninos". Sua preocupação foi centrada na valorização inquestionável da criança: Mt. 18:1-6; 19:13-15. Tanto no cuidado em respeitar o seu tempo e suas limitações, quanto na proteção e no que há de ensinar. BIBLIOGRAFIA BÍBLIA Sagrada , traduzida: João Ferreira de Almeida, Sociedade Bíblica do Brasil. SILVEIRA, Bueno: Minidicionário da língua portuguesa, p. 581. FONTE WEBIOGRÁFICA, www.ebdweb.com.br/ensino/pedagogia.htm

Um comentário:

  1. Gostei muito de seu blog. Denota simplicidade, equilíbrio e consistência com os valores espirituais e humanos - nas perspectivas de uma visão sublime de pedagogia - A pedagogia do Mestre por Excelência. Parabéns!

    ResponderExcluir

Deixe um blogueiro feliz, comente: